Belém! Bém! Bém!

Açai, saputi, apará, abacaxi, castanha-do-pará, melancia, bacuri, manissova, murici, tucupi, dourada… Em movimentos ligeiros, mercadorias sobem e descem dos barcos que abastecem o Mercado Ver-o-Peso. Estamos em Belém do Pará.

“Pará, chegou parou! Comeu açaí e ficou!”

E não é que é verdade mesmo! Difícil provar o açaí do mercado, acompanhado por uma dourada e não sentir vontade de ficar para provar mais uma, duas, três vezes essa delícia da Amazônia.

O açaí daqui é puro, tem uma cor  lilás levemente acentuado. Puro, é servido sem  açúcar, em tigelinhas de alumínio, acrescido de um pouco de gelo. Hum! Imperdível!

Depois do açaí, prove a manissova (espécie de feijoada preparada com a folha da mandioca). A folha da mandioca é cozida por vários dias e depois transformada numa deliciosa mistura verde de folhas, caldo, acrescido de calabresa, costelinha etc., etc.

Como sobremesa quer um doce? Prove a cocada de castanha-do-pará. Entre os sabores doces, este é o que há de mais, mais…

Como estávamos conhecendo Belém pelo cheiro e pelo sabor, viajamos em busca do Açaí “in natura”, para isso atravessamos de barco até uma ilha, um igarapé e muita floresta. Lá acompanhamos a “panha”do açaí e provamos do fruto preparado por mãos caboclas. Imagine se pode existir algo melhor… Quem nos levou até a ilha foi nosso amigo Zehma, da Argonautas Ambientalistas da Amazônia. Zehma, graças a você, conhecemos o açaí tão de pertinho. Muito obrigada! Esperamos encontrá-lo outras vezes.

O Zhema nos conheceu por um contato feito pela Mônica Volpi, de Curitiba, que há uns quinze dias, assumiu a Histórias de Alice, como mais um de seus projetos. A Mônica tem disponibilizado grande parte do seu tempo agenciando nossa viagem. Obrigada, Mônica pelo carinho, com você nossa vida ficou mais tranquila. Beijos desde o Pará.

Para concluir nossa viagem de sabores, à noite, o Galeto Vaidoso estreou um prato em minha homenagem. Com jeito de gaúcho, feito meio à paulista, o prato recebeu o nome de Histórias de Alice. Ele foi feito com picanha, galeto e calabresa. O Junior, preparou uma chapa com richoud aceso, ao lado uma tábua de carnes com cortes especiais acompanhado de temperos. Ao redor da mesa nos servimos de um gostoso churrasco, regado à “devassa”e temperado com um bom papo. Quem provou aprovou.

Nossos agradecimentos ao Júnior, à Ingrid e toda equipe do Galeto Vaidoso, que nos acolheu em nossa estadia em Belém. Até um próximo encontro! Bibi! Fom! Fom!

Nosso abraço carinhoso ao Alan, da Fumbel, pelo apoio e por nos levar para lugares lindos como Icoaraci e Monte Alegre. Valeu, Alan!

À galerinha corajosa de Belém, que no último final de semana enfrentou a fila da vacina e depois brincou comigo, com o Pingo e com o Chico, um abração da Alice e sua turma. Aeh! Crianças! Vamos acabar com as doenças que gostam de chegar de mansinho para não deixar gente pequena brincar. Vacina! Vacina!

Post a Comment

Your email is never shared. Required fields are marked *

*
*