Um novo dono para Alice

adotada

Os carros como as pessoas têm histórias. A minha história começa semelhante a de qualquer Kombi: fui fabricada no interior da montadora da VW, em S. Bernardo do Campo e depois transportada para uma autorizada  em Curitiba, capital do Paraná. No ano que fui fabricada 2006, foi também o ano que fui comprada para trabalhar num supermercado. A juventude de um carro se mostra pelos quilômetros rodados e eu rodei 75.000 Km a serviço de transportar compras daqui para ali, de buscar verduras no CEASA etc. Numa manhã, o dono do supermercado resolveu renovar a frota e eu voltei para uma concessionária de carros usados. Fui colocada a venda pelo valor de R$ 20.000.00. Fiquei um tempo ali, a espera de que alguém me quisesse comprar.

Enquanto isso, em Florianópolis, um casal planejava viver dentro de um carro. O nome do casal era Maly (Marcelo e Lyane). Eles souberam de mim, gostaram e me levaram para Itu, no estado de São Paulo. Lá passei por uma grande transformação, ganhei blog e fui chamada de Kombi home. Fiquei um ano sob a chancela do casal que viajou comigo por dois meses mas ficaram grávidos tiveram que interromper a viagem e me colocaram novamente a venda.

Setembro de 2009. Sem saber que eu existia outro casal, dessa vez em S. Paulo, ansiava por deixar casa e sair viajando pelo mundo. Procuram pelo carro ideal e de repente, me descobrem na tela do computador. Apaixonam-se no primeiro olhar e decidem: “Viveremos por dois anos dentro desta Kombi”. Desse modo, voltei para S. Paulo, recebi o nome de Alice e viajei por um projeto que recebeu meu nome, este que você lê agora, no qual registrei o diário o diário de minha viagem.

Ah! Foram dois anos de muitas histórias, grandes alegrias, enfrentando perigos, subindo serra, descendo serra, visitando lugares que poucos vêem. Fui uma Kombi feliz. Ao final de dois anos, a travessia do projeto Histórias de Alice é concluída e fui novamente colocada a venda.

Procura-se um dono para Alice. Fiquei triste, mas entendi que sou uma Kombi especial, feita para fazer pessoas especiais felizes, nada de ficar guardada na garagem, nem de ser transformada em museu, ainda sou uma jovem casa e preciso rodar muitoooo.

Houve muitos interessados em mim, desde o momento que o anúncio foi postado na internet. Para todas as propostas a Inês sempre dizia: ” Quando o novo dono da Alice chegar saberemos.” Assim permaneci alguns meses fazendo viagens curtas e minha parte casa basicamente não estava mais em uso.

No feriado de 15 novembro recebemos uma proposta: um jovem casal de Santa Catarina, com um filhinho de um ano e cachorro me queriam para ser sua nova moradia. Tivemos a nítida sensação que meu novo dono havia chegado. As negociações correram tranquilas, sem estresse. Ontem, fui entregue para minha mais nova familia: o Rafael, a Caroline e o Luca. Vou passar por algumas alterações mais  logo, logo vou pegar a estrada novamente.

Ah! Aguardem meu novo visual: ele estará mais hippie e vou viver altas aventuras em companhia de um garotinho de 1 ano. Podem imaginar o que será vê-lo crescer à sombra de mim?

Quanto ao Projeto Histórias de Alice, ele continuará aqui, pronto para contar novas histórias. O casal se prepara agora para ganhar uma nova Alice que vai rodar o mundo. Abraços da Alice para o Franco e para a Inês, com desejos que sua nova Alice os faça tão felizes quanto foram dentro de mim. Até breve! Abraços da Alice que em breve será uma Kombi Hippie.

Post a Comment

Your email is never shared. Required fields are marked *

*
*