Dicultura – Consórcio dos Concessionários Volkswagen

Captura de Tela 2012-07-06 às 21.59.38

Captura de Tela 2012-07-06 às 22.05.26

http://www.ccvw.com.br/area-do-cliente/dicultura

Eu amo minha kombi

logo_copava2

Captura de Tela 2012-07-06 às 21.52.30

1

julho

Kombi viaja pelo Brasil e promove a fotografia

Conhecida por ser um veículo multiuso, a Kombi está presente em atividades cotidianas como o transporte e comércio, mas também cumpre um papel importante servindo como veículo ideal para quem quer viajar e promover uma causa muito nobre.

O casal Ines Calixto e Franco Hoff embarcou na Alice e pôs o pé na estrada para ensinar fotografia a diversas crianças espalhadas em comunidades pelo Brasil. Dentro da Kombi há várias câmeras digitais que são usadas nas oficinas ministradas por eles.

O fotógrafo Luciano Candisani encontrou o casal no Porto de Corumbá e registrou no seu blog a importância do trabalho. Para acessar, clique aqui.

http://blogdakombi.copava.com.br/?p=306

Peregrinação de dois anos pelo interior do Brasil de kombi

Em São Paulo, exposição fotográfica mostra peregrinação de dois anos pelo interior do Brasil

Mariana Pasini
Do UOL, em São Paulo

  • Franco Hoff/Reprodução

    A exposição "Brasil de Dentro" traz imagens do interior do país feitas numa expedição que durou dois anos

    A exposição “Brasil de Dentro” traz imagens do interior do país feitas numa expedição que durou dois anos

Quando saíram de São Paulo em maio de 2010, os fotógrafos Franco Hoff e Inês Calixto tinham poucas certezas. O plano inicial envolvia uma pesquisa através do Brasil de alguns objetos específicos: boas histórias e cultura brasileira “na raiz”. Eles haviam se desfeito de emprego e apartamento, mas não sabiam se a viagem daria certo, se como casal aguentariam o tranco (estavam juntos há apenas dois anos) e sequer se iam voltar.

O resultado de uma aventura de dois anos, 400 municípios, 21 estados e 60 mil quilômetros rodados está na exposição “Brasil de Dentro”, que estreia na terça-feira (26), às 20h, na Galeria Ímã, em São Paulo.

  • O interior da Kombi Alice, com a qual Franco e Inês percorreram 60 mil quilômetros no interior do Brasil

A mostra reúne 22 imagens em preto e branco de sertanejos, comunidades ribeirinhas e índios capturados pelas lentes de Hoff durante a jornada feita a bordo de uma perua Kombi batizada de Alice, que cruzou o país de Leste a Oeste, de Sul a Nordeste. O Norte ficou de fora porque o automóvel, que já era usado, não tinha condições de atravessar o território.

O casal começou a viagem com recursos suficientes para apenas seis meses, mas conseguiu estender a expedição com o dinheiro de trabalhos freelancers de fotos e textos. Um blog conta o que encontraram pelo caminho e outros dados sobre a viagem.

O carinho e a receptividade das pessoas que encontraram são marcas da viagem. “A gente pensava que estava chegando com alguma coisa, e eles estavam vindo com muito mais generosidade pra gente”, diz Inês. Ela chegou a ser atropelada em Serra Pelada, no Pará, mas a comunidade se uniu e conseguiu pagar estadia num hotel e exames médicos. “Muita gente sentiu até pena da gente ao ver que morávamos na Kombi”, diz Franco.

Em São Paulo, exposição “Brasil de dentro” traz fotografias do interior do país

Foto 6 de 16 – A exposição “Brasil de Dentro” traz imagens do interior do país feitas numa expedição que durou dois anos Franco Hoff/Reprodução

Em São Lourenço do Sul (RS), cidade onde Franco nasceu, eles chegaram na véspera de uma das piores enchentes que o lugar já viu. Para evitar que fosse levada pelas águas, a Kombi teve que ser amarrada em árvores. “A Alice foi abençoada. Só em volta dela ficaram uns 5 metros sem água”, conta Franco.

De volta à terra firme, a nova empreitada é a busca por recursos para transformar a exposição em livro. Num futuro próximo, o casal quer desbravar os lugares onde a Kombi não conseguiu passar. Desta vez, Alice ficará em casa.

Serviço
Brasil de Dentro: a vida que poucas pessoas vêem
Quando: de 26 de Junho a 20 de agosto; de segunda e sexta das 10h às 20h e sábado das 10h às 17h
Onde: Íma Foto Galeria – End: Rua Fradique Coutinho, 1239 – (11) 3816-1290
Quanto: Entrada franca

http://guia.uol.com.br/sao-paulo/exposicoes/noticias/2012/06/26/em-sao-paulo-exposicao-fotografica-mostra-peregrinacao-de-dois-anos-pelo-interior-do-brasil.htm

O interior do Brasil visto pelo interior de uma kombi

Captura de Tela 2012-07-06 às 21.46.21
O interior do Brasil visto pelo interior de uma kombi

O interior do Brasil visto pelo interior de uma kombi Foto: Luciano Candisani

APÓS DOIS ANOS DE VIAGEM-EXPEDIÇÃO PELO PAÍS, CASAL DE FOTÓGRAFOS  FRANCO HOFF E INÊS CALIXTO FAZ EXPOSIÇÃO COM 22 IMAGENS NESTA TERÇA 26, NA VILA MADALENA; ASSITA VÍDEO

26 de Junho de 2012 às 13:28

247-Durante dois anos, o casal de fotógrafos Franco Hoff e Inês Calixto viajou pelo interior do Brasil dentro de uma Kombi, que eles deram o nome de Alice. A bordo da Kombi Alice, Franco e Inês realizaram o antigo desejo de conhecer mais profundamente o país, buscar narrativas orais, e fazer o que mais gostam: fotografar.

Os fotógrafos viajantes percorreram 60 mil quilômetros rodados Brasil a dentro, por caminhos pouco trilhados. O casal sempre escolhia as piores estradas e os lugares mais afastados, da Transamazônica (AM) às praias do balneário Cassino (RS). Foram 400 cidades visitadas; 100 oficinas de fotografia, com participação de aproximadamente 2000 crianças, pequenas exposições de fotos nas comunidades e escolas estaduais no decorrer da viagem.

Essa história real rendeu uma exposição de fotografia, na Ímã Foto Galeria, a partir do dia 26/06, às 20h, à Rua Fradique Coutinho, 1239, Vila Madalena. Na mostra, o casal apresentará o mundo que viu pela janela da “Alice”. “Vimos belezas, em muitos momentos , nos deparamos também com a dureza do trabalho quase escravo dos carvoeiros no Pará, com as quebradeiras do Coco Babaçu no Bico do Papagaio, no Tocantins, e a pobreza extrema do Vale do Jequinhonha. Mas em todas as situações, por mais doloridas que fossem, encontramos, também, o sorriso aberto no rosto de um povo que faz a felicidade nascer de si mesmo, independente das condições que enfrentam”, declarou o casal.

Para mais informações
Ímã Foto Galeria
R. Fradique Coutinho, 1239
Fone: 3816-1290

http://www.brasil247.com/pt/247/viagem/66604/O-interior-do-Brasil-visto-pelo-interior-de-uma-kombi.htm

Aventuras pelo asfalto

Aventuras pelo asfalto

Blogueiros contam suas experiências na cidade grande ou pelo Brasil adentro

Cristiana Vieira


Franco e Inês. De “kombihome”, eles realizam o sonho de levar cultura para comunidades

Cansados da rotina de trabalhar e pagar contas, Franco Hoff e Inês de Calixto queriam dar um sentido novo à vida. Assim, traçaram o roteiro de uma jornada pelas entranhas do Brasil. Primeiro pensaram em comprar um carro que aguentasse o ritmo da viagem e ainda lhes servisse como casa. O destino conspirou e eles se depararam com “Alice”, uma espécie de kombi home projetada por um outro casal que tinha o mesmo plano, mas acabou desistindo.

Com a ajuda dos amigos e da família, o projeto ganhou força, o casal juntou dinheiro e, em maio, partiu de São Paulo rumo à cidade de Aguaí, no interior do estado. Depois, vão explorar várias partes do Brasil. Tudo isso em três anos. “Queremos levar cultura em forma de oficinas de cinema, literatura e fotografia para moradores de comunidades”, conta Inês, encantada com o pouco que já viu.

Franco, 36 anos, é um fotógrafo apaixonado por cultura popular. Inês, de 47, é uma pedagoga que aprecia o contato com o povo. Chico é o mascote do casal, um boneco que Inês encontrou em um aeroporto. O casal pretende fotografar e coletar causos de protagonistas das cidades por onde passarem. Querem entender o modo de vida das pessoas e sua relação com a arte, música, dança, religião, tempo, lazer e trabalho. Quando voltarem, devem publicar três livros: um de fotografia, outro de causos e o diário da viagem.

Os próximos destinos são algumas cidades do estado de Minas Gerais, na região do Vale do Jequitinhonha. Depois vão seguir o curso do Rio São Francisco e, do Maranhão, irão para o norte do País, passando depois pelo centro-oeste. Por fim, chegarão ao sul. Para pagar os custos, escrevem textos para a Editora Saraiva e para a revista National Geographic. E se faltar dinheiro, o combinado é fazerem uma pausa para trabalharem e, depois, continuarem a jornada.

A viagem tem sido intensa e o roteiro já sofreu pequenas mudanças por indicação de seus novos amigos. Em São Roque (SP), ouviram falar de Paim – onde passaram 10 dias e conheceram algumas das 1.200 grutas do local. Desemboque (MG), a terra do ator Lima Duarte, um lugar onde vivem oito famílias, também não estava no roteiro. Contam que lá aprenderam coisas lindíssimas e conheceram pessoas inesquecíveis, como o Senhor Estevão, um garimpeiro de 83 anos, veterano da Segunda Guerra Mundial. O que chamou a atenção de Inês foi a disparidade social nas cidades construídas sobre minas de ouro, mas que são absolutamente pobres.

O único problema é que, a cada lugar aonde chegam, têm de começar tudo do zero. Desmontam a casa, apresentam o projeto para os moradores e, aos poucos, conquistam a confiança. O legal é que, intencionalmente, não mapearam tudo sobre esses territórios para não se influenciarem. “Sabemos algumas coisas. O resto vamos conhecendo”, divaga Inês.

Ela diz que tem aprendido muito. E mesmo com toda a dificuldade de ter deixado sua casa, livros, TV, sapatos de salto alto para viver dentro de uma kombi, longe da família e dos amigos, sente-se recompensada. “Tenho recebido muito mais do que doado. As despedidas são dolorosas. Nem sei explicar”, emociona-se.

Eco chique. A ilustradora Fernanda Guedes faz quase tudo de bicicleta, mas sem perder a elegância. Se tem uma reunião, vai de bike. Mas nem por isso desce do salto. Tudo começou logo que se separou e ainda dividia um carro com o ex, que deixava o veículo sempre sem combustível. Cansada, ela decidiu que não gastaria seus nervos nem seu tempo parada no trânsito. E começou a circular sobre a magrela.

No começo, pedalava pela calçada, pois lhe faltava malícia e coragem para andar entre os carros, guiados por motoristas pouco educados com ciclistas. Passou a andar com grupos de bikers e, assim, perdeu o medo de encarar a rua. A partir daí, o percurso que levava 40 minutos de carro passou a durar só 15. Hoje, quem a vê serelepe quer saber mais sobre sua experiência: se realmente é possível pedalar de salto alto, se é difícil encarar as ladeiras, se tem medo de assalto… “São perguntas de quem realmente quer começar a pedalar”, diz Fernanda.

Para narrar as aventuras de uma vida sustentável, Fernanda criou um blog. Assim, quer incentivar outras pessoas e até montar um guia paulistano de lugares para serem visitados sobre duas rodas, que deve ser batizado de “bike-friendly”. Fernanda pretende dar dicas, destacar os cuidados necessários, os locais com “estacionamento” e produtos específicos para bicicletas e ciclistas.

“É também uma forma de despertar a atenção de comerciantes e donos de casas noturnas, para que possam receber esse público.” Ela anda de capacete, usa iluminação e um adesivo colado na traseira que avisa: “Respeite um carro a menos”. “É para ver se as pessoas se comovem”, diz.

Hoje, o blog tem outros assuntos relacionados à sustentabilidade. Mas Fernanda jura que não é “ecochata”. “Faço, falo e publico coisas que qualquer pessoa pode fazer”, explica. Andar de bicicleta a deixou mais feliz e bem humorada, além de ter melhorado seu condicionamento físico. “Ando sorrindo mais. É como se voltasse aos meus 15 anos, andando pelas ruas. Traz um sopro de juventude de volta.”

Também tem seus segredinhos de beleza sobre as duas rodas. Quem a vê de lenço e cachecol pensa que é só charme, mas também deixa seu pescoço quentinho e protegido de possíveis distensões musculares. Usa em lenço de seda para proteger o cabelo do vento e da umidade provocada pelo capacete. “Fica estiloso e quebra um galhão”, admite. Protetor solar para rosto, mãos, braços e pernas, além do labial. Ah, e sugere que futuras ciclistas levem um trapinho na bolsa para limpar as mãos caso a corrente da bike saia do lugar e tenham que botar a mão na graxa.

A maior estripulia que fez foi voltar de bike para casa às 2 da manhã. Também já pegou chuva. “E não derreti.” Hoje, só tira o carro da garagem quando está muito atrasada para um compromisso, ou quando tem de levar o filho a algum lugar, pois ainda não conseguiu uma garupa confortável para o seu garotão de 9 anos.

No futuro, Fernanda pretende organizar uma viagem de bike. Mas, antes disso, pretende percorrer roteiros mais curtinhos no estado de São Paulo, para ganhar experiência. “Minha intenção mesmo é fazer da bike meu meio de transporte”, diz. Só falta encontrar um bagageiro para conseguir fazer a compra do mês de bike. E, definitivamente, vender o carro.

Revista Regional – Alice e a diversidade brasileira

Edição 111- Julho 2012 – Revista Regional – Pág. 71 a 75
Online – http://revistaregional.com.br/portal/wp-content/plugins/page-flip-image-gallery/popup.php?book_id=31

Saimos na Edição 111- Julho 2012 da Revista Regional – Pág. 71 a 75

Veja Online – Clique aqui

Captura de Tela 2012-07-06 às 13.57.29

Captura de Tela 2012-07-06 às 13.57.39

Captura de Tela 2012-07-06 às 13.57.51

O Brasil visto de uma Kombi (exposição Brasil de dentro)

logo

Exposição com 22 fotografias encerra viagem-expedição de dois anos pelo interior do país

CULTURAEXPOSIÇÃO – - 25/06/2012

O casal Franco Hoff e Inês Calixto, dentro da kombi Alice: descobrindo o Brasil em imagens (Foto: Luciano Candisani)

Eles viveram por dois anos numa Kombi-casa apelidada de Alice. Nesse tempo, Franco Hoff e Inês Calixto (ele fotógrafo documentarista, ela educadora e fotojornalista), rodaram 60 mil quilômetros Brasil a dentro, sempre escolhendo caminhos pouco trilhados. “Escolhíamos as piores estradas e os lugares mais afastados”, diz Franco. Da Transamazônica (AM) às praias do balneário Cassino (RS). Visitaram 400 cidades; promoveram 100 oficinas de fotografia das quais participaram cerca de 2.000 crianças, e ainda montaram pequenas exposições de suas fotos nas comunidades e escolas públicas por onde passavam.

O projeto nasceu da vontade de conhecer mais profundamente o país, buscar narrativas orais. E, claro, fotografar. Pela janela da Alice, os dois registraram belezas naturais, cores, rostos, sabores, e também a dureza da vida brasileira. Do trabalho quase escravo dos carvoeiros no Pará e das quebradeiras de babaçu no Bico do Papagaio, no Tocantins. “Em todas as situações, por mais doloridas, encontramos sorrisos abertos”, afirma Inês. É o que mostram as 22 imagens, todas em preto e branco, do projeto Histórias de Alice. A exposição, que terá vernissage dia 26/06, às 20h na Ímã Foto Galeria (Rua Fradique Coutinho, 1239, Vila Madalena, tel.: 3816-1290), fica em cartaz até o fim de julho.

Viajando pelo interior de São Paulo

“Kombi Alice” visita a Fazenda do Chocolate

Publicado: Terça-feira, 22 de maio de 2012 por Jéssica Ferrari

Tripulantes gravaram para matéria do Auto Esporte (TV Globo).

Arquivo / Fazenda do Chocolate
Foto
Casal gravou matéria para o programa Auto Esporte, dentro da Fazenda

Depois de dois anos na estrada, explorando o Brasil em cerca de 60 mil quilômetros rodados e mais de 300 municípios pernoitados, a “Kombi Alice” e seus tripulantes estão voltando para a casa. Eles passaram sua última noite de expedição – 16 de maio – na Fazenda do Chocolate, em Itu.

Logo pela manhã, eles já estavam prontos para gravar uma matéria para o programa Auto Esporte da Tv Globo. A reportagem foi filmada na Gruta da Glória e também na Fazenda, e mostrará um bate papo sobre a experiência da tripulação. Veja imagens no álbum da Fazenda!

A matéria do Auto Esporte será exibida no dia 17 de junho, junto com uma entrevista de Walter Salles por ocasião do lançamento de On The Road, baseado também em experiência própria de “Pé na Estrada” do diretor.

Histórias de Alice – O Projeto

Em 2012, um casal de fotógrafos trocou sua residência fixa em São Paulo, para viver, viajando pelo interior do Brasil, a bordo de uma Kombi que, em 2008, foi transformada em motorhome e recebeu de seus primeiros donos o nome de Alice (uma referência à obra literária Alice no País das Maravilhas).

A Kombi Alice viajou o Brasil fotografando histórias narradas por pessoas simples, investigando seu modo de ser e de viver. O projeto teve a pretensão de trabalhar a inserção cultural de comunidades do interior do país, em três linguagens: a literatura, o cinema e a fotografia. Ao mesmo tempo compor uma coletânea de causos narrados pelos protagonistas (pessoas do lugar onde visitarmos) registrando seu modo de ser e fazer cultura.

Leia mais: www.historiasdealice.com.br

Fazenda do Chocolate

A histórica Fazenda da Serra, mais conhecida por Fazenda do Chocolate, tem se dedicado ao turismo rural há quase 30 anos. Roteiros culturais, como o passeio à Casa do Caipira; cavalgadas; passeios de pôneis; aves caipiras, exóticas, animais silvestres e répteis soltos são algumas das atrações que os visitantes adoram. O patrimônio histórico-cultural é com certeza um dos mais belos cenários do interior paulista.

__________________________________________________________________________________________________


Kombi da Alice grava programa de TV em Itu

segunda-feira, 21 maio, 2012

Kombi da Alice percorre todo o Brasil. Foto: Divulgação

A Fazenda do Chocolate recebeu a visita da Alice, uma Kombi “casa”, que percorre o Brasil há dois anos levando oficinas de fotografia, leitura e cinema.

A Kombi da Alice, pertence ao casal de fotógrafos Franco Hoff e Inês Calista e possui o nome da avó de Franco. Há pouco mais de dois anos o casal vem percorrendo o Brasil, fotografando suas diversidades e curiosidades. Todo o material captado durante a andança será utilizado na elaboração de três livros.

Essa semana, a Kombi esteve na Fazenda do Chocolate, onde os fotógrafos foram entrevistados pelo programa Auto Esporte da Rede Globo.

No meio do caminho

Lá ia eu de volta, bem como saí, carregada, agora com as coisas que comporão a nova moradia do Franco e da Inês.

No meio do caminho, eis que a equipe do Autoesporte nos encontrou. Fui rapidamente preparada (o Chico ficou comigo, ali, me dando a maior força. Acho que ele se sente o motorista principal da viagem) para ser filmada naquilo que mais gosto de fazer: rodar e rodar estrada afora.Enquanto eu seguia viagem, a equipe do Autoesporte me acompanhava fazendo um road movie.

Ufa!!!  Tentei não tossir nenhuma vez, inda bem que tô com tudo em cima! Mas dar uma buzinadinha pra galera que passa, ah!, isso eu fiz.  Um bibiii! fom! fom! também para você que agora me lê.

Não perca esta história prevista para ser mostrada no dia 17 de junho, no Autoesporte.

Rumo a São Paulo

Eita, inda parece que foi ontem, maio de 2010… Meu coração batia acelerado, bagageiro carregado de sonhos, expectativas, livros e um montão de outras coisas. A gente nem sabia o que levar para uma vida de  aventureiros da estrada. Saimos carregados de muitas coisas, algumas delas deixamos no caminho outras nos acompanharam em toda a viagem.

O legal é que meus tripulantes foram entendendo aos poucos que para viver na estrada a gente de precisa de bem pouca coisa: pouca roupa, pouco calçado, poucos adereços… Na estrada o que eles realmente precisaram  foi de uma kombi-casa inteira, saudável… E do Chico claro, senão, quem é que faria a alegria da garotada?

Agora,  dois anos depois, já estamos no caminho de volta prá casa…

Hoje, logo cedo, fui levada a um estofador para refazer a capa do meu bagageiro que furou toda e a caixa de bonecos também precisava de uma forração nova. Tô aqui, feito garota quando vai  costureira:  estacionada, sem me mexer nem um pouquinho, enquanto do Donizete confere minhas medidas.

Fui!

Bibi! Fom! Fom!